Meus erros cometidos na internet antes de se tornar um blogueiro profissional

man-688251_1280Trago esta postagem com o intuito de mostrar o quanto é importante adquirir um curso especializado em trabalhar na internet. Começo contando a minha experiência fracassada, de mais de 5 anos editando blogs, de forma amadora, sem ter orientações de um especialista. Nela, mostrarei, com experiência de quem viveu na pele, o quanto é praticamente impossível transformar seu blog amador em profissional sem alguém com experiência que lhes oriente para o caminho a ser percorrido.

Como minha primeira formação é em jornalismo, mesmo não a exercendo na atualidade (sou professor da rede municipal de Natal), mantinha o sonho de ter um informativo online, e com isto trabalhar naquilo que gosto que é o de escrever textos. Assim, fundei um blog que tinha como objetivo trazer informações da região metropolitana de Natal, a área que mais cresce na cidade.

Meu primeiro erro na internet foi não saber a escolher o nicho

Apesar do blog ter bom conteúdo e minha estratégia ser bem interessante, ou seja, demarquei um espaço, especificamente uma área da cidade que não era totalmente coberta pelos grandes veículos de informação de Natal. Textos e fotos eram originais, e acompanhava o que de mais interessante acontecia nesta região. Mas, mesmo assim depois de mais de 2 anos, não encontrei nenhuma saída para torna-lo profissional, até mesmo porque as visitas eram poucas.

Depois de três anos fracassado, e de reflexão do porquê de não obter sucesso, imaginei em focar o conteúdo num nicho mais específico. Aí, direcionei suas postagens para o futebol amador na região. A estratégia era a de cobrir os campeonatos amadores dos centros desportivos.

Então, passei a acompanhar cinco campeonatos de Centros Desportivos da Zona Norte, mais o das Rocas, um bairro onde a população é apaixonada por futebol. Acompanhava os jogos que aconteciam no sábado e domingo, além de fazer postagens com chamadas para a rodada que iriam acontecer e mais matérias especiais de alguma coisa que chamava a atenção entre os desportistas. A cada rodada, confeccionava uns 500 cartões de visitas com endereço do blog e distribuía entre os atletas e pessoas que acompanhavam os jogos.

Outro erro foi a faixa etária do publico alvo

Mas, foi aí que tive de enfrentar duas dificuldades. A primeira era a de que boa parte das pessoas envolvidas nos campeonatos não tinham acesso à internet, principalmente aquelas pessoas de idade mais avançadas. Aos domingos, as rodadas eram de master (sênior). Exatamente as rodadas do domingo pela manhã, ou à tarde, eram as que o meu equipamento fotográfico era suficiente para fazer boas coberturas fotográficas. As dos adultos, ou seja, jovens acontecia à noite dos sábados e a iluminação era muito ruim.

Ora, como as visitas continuavam baixas (menos de 50 ao dia) este número não me dava respaldo para ganhar dinheiro via Adsense, e a saída seria o patrocínio de lojas de bairro. Porém, como os especialistas mesmo advertem, ganhar dinheiro em blog vendendo anúncios direto entre conhecidos não é um bom negócio. Primeiro o editor se desgasta muito tentando convencer anunciantes e depois sofre muito para receber o pagamento.

Nestas condições não me sentia encorajado para continuar no projeto do blog de futebol amador de bairro.

Depois destas conclusões, parti para a edição de um blog voltado para cabeleireiros. Não nos moldes desta editado pelas meninas no Brasil afora. Mas sim, uma espécie de revista voltada para o incentivo aos cabeleireiros do RN. Este projeto parecia que iria dar centro, porém, mesmo assim verifiquei que cometi erros de puro amadorismo. O primeiro deles é que, mais uma vez não iria ter público de peso. Os motivos eram praticamente os do futebol amador: muitas cabeleireiras não acessam a internet.
Outro motivo do não sucesso, era o de puro desconhecimento de como funciona este nicho comercial. Ou seja, os eventos são todos promovidos por uma empresa de cosmético via representante na região que visa ganhar espaço naquela região. De imediato, observei que minha presença era vista com a de quem estava tentando ocupar espaço para tomar clientes, e assim vender meus cosméticos profissionais, Ou seja, parecia que queria pescar em viveiros alheios.

Cursos e palestras com experts me trouxeram outros horizontes

Mas, posteriormente depois de muita pesquisa na internet, tive acesso a cursos sobre empreendedorismo digital. Depois de comprar o primeiro e começar a estudar, de imediato observei onde estava errando. Primeiro, para que um blog tenha sucesso e se torne rentabilizado, é necessário que seu nicho seja específico sim, porém, o raio de atuação seja universal.

Neste caso, meu blog poderia falar de esporte amador, mas não para uma região específica de Natal, mas para todo o território brasileiro. Se possível até para o mundo. Assim, ao invés das postagens serem direcionada para jogos pontuais do bairro, elas seriam em cima de ensinamentos, regulamentos, técnicas, etc, do futebol amador no Brasil.

Quanto ao projeto dos profissionais de cabelos do RN, ele teria dado certo se eu realmente fosse um profissional da área. Assim, ao invés de promover eventos e realizar postagens com outros profissionais, eu é quem daria informações técnicas, de cortes, colorimetria, penteados, etc. Ou seja, falava para profissionais e alunos da área e automaticamente estaria prestando um serviço técnico e fortalecendo meu nome e junto com ele o meu blog.

A partir daí, o sucesso é apenas uma consequência. Existem centenas de pessoas que começaram assim e hoje seus projetos estão consolidados, como o da cabeleira Viviane Palma, em Minas Gerais, e do corretor de imóveis Marcel Sampaio no Ceará.

Gostou? Compartilhe!

wlisses

Jornalista, professor e empreendedor digital. Adoro pesquisar e compartilhar aquilo que aprendi. Assim, tanto aprendo, como estarei sempre ajudando a outras pessoas para que consigam também realizar os seus sonhos.

Website: http://wlissesguerra.com.br